Bens Penhorados

Prédio Urbano (2208.2017.156)

Valor base de venda:
167,488€

Estado da venda: Finalizado

Localização: Palmela, Setúbal

Modalidade: Leilão eletrónico

Código da venda: 2208.2017.156

Serviço de finanças: 2208 - Palmela


Apresentação de propostas até 14-08-2017 às 10:59
Examinação do bem de 30-07-2017 às 10:00 até 14-08-2017 às 10:59
Abertura de propostas em 14-08-2017 às 11:00

Detalhes

Tipo de prédio Urbano

Descrição

PREDIO URBANO DESTINADO A SERVIÇOS, N.º de Pisos: 3, Tipologia/Divisões: 3, Afetação: Serviços, Área Total do terreno: 833,0000m2, Área de implantação do edifício: 386,4000m2, Área bruta de construção: 503,5000m2, Área bruta dependente: 87,2500m2, Área bruta privativa: 416,2500m2; sito em CABANAS, 2950-631 QUINTA DO ANJO, CONFRONTA A Norte: Manuel Martins Correia Gonçalves, a Sul: Manuel Basilio, a Nascente: Cocho, a Norte: José Manuel Pinto Freguesia de Quinta do Anjo, Concelho de Palmela, com o valor patrimonial de € 239.269,00e descrito na Conservatória de Registo Predial de Palmela sob o n.º 2480/19951220. Inscrito na respectiva matriz predial urbana da freguesia de Quinta do Anjo sob o art.º 1122. A localização visivel na internet poderá não corresponder com total exatidão à localização efetiva do imóvel. AVISO: Recomenda-se aos interessados, que devem proceder à verificação prévia do estado dos bens. A falta desta não determina, a anulação da venda. Nos termos do nº 4 do artigo 820º. do Código do Processo Civil, as propostas, uma vez apresentadas, só podem ser retiradas se a sua abertura for adiada por mais de 90 dias depois do primeiro dia designado. O adjudicatário deverá depositar a totalidade do preço, e pagar os impostos que se mostrem devidos, no prazo de 15 dias, contados do dia da abertura das propostas, mediante guia a solicitar no órgão de execução fiscal. Exceptuam-se as aquisições de valor sup. a € 51.000,00, onde, mediante req. fundamentado do adquirente, entregue no prazo máx. de 5 dias a contar da decisão de adjudicação, pode ser autorizado o depósito, no prazo de 15 dias acima indicado, de apenas parte do preço, não inferior a 1/3, obrigando-se à entrega da parte restante no prazo máx. 8 meses (alíneas e) e f) do nº1 do artº 256º do CPPT). O não pagamento do preço devido, no prazo indicado, impede o adjudicatário faltoso de apresentar qualquer proposta em qualquer venda em execução fiscal, durante um período de dois anos (nº4 do artº 256º do CPPT), podendo incorrer tambérm nas sanções previstas no artº 825º do CPC. As despesas com a entrega do bem são devidas pelo adquirente.